Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dramas de uma paranóica

Dramas de uma paranóica

15
Nov20

Da inércia

Uma paranóica

Quero escrever mas não sei muito bem o quê. Se calhar posso começar pelo pensamento que tenho sempre presente no meu subconsciente; bem escondido e afastado para uma altura mais conveniente que nunca chega.

Já vai para dois anos que tomei a decisão plenamente consciente de me afastar da minha área de estudos e dedicar-me a start ups. Trabalho em apoio ao cliente; comecei como agente e progredi para team lead (ou, em bom português, supervisora de equipa).

Gosto de gerir pessoas. Não é fácil e tem dias em que só me apetece arrancar os cabelos e fumar 50 cigarros (tem outros em que realmente só me falta mesmo arrancar os cabelos) mas, no geral, gosto. Aliás, quem me conhece sabe que sou 150% dedicada ao meu trabalho, seja em que empresa for, e que só não faço mais quando não posso.

Sou uma workaholic. Sou aquela pessoa que trabalha sempre até tarde e que, mesmo quando não está a trabalhar, tem sempre aquele olhinho no e-mail e no Slack. Pura e simplesmente, não consigo desligar.

Estaria a mentir, no entanto, se dissesse que quero ser team lead para sempre. Não quero. O que eu quero mesmo é gerir projectos.

Há uns tempos comprei uns cursos no Udemy. Ainda envolvem uma quantidade considerável de horas mas no fim tenho algum tipo de certificação e, com a minha experiência, sempre é uma vantagem extra para o futuro. 

Qual é, então, o problema?

O problema é que eu não tenho tempo. Aliás, scratch that, tempo eu tenho mas não tenho motivação.

Seria de pensar que, sei lá, lutar pelo meu futuro seria motivação suficiente, mas a verdade é que eu trabalho tanto que quando finalmente tenho um tempo livre, uma folga, a última coisa que eu quero fazer é estudar.

E atenção, isto é ridículo. Orgulho-me sempre de dizer "ah sim, a minha empresa oferece x dias anuais de formação e se quiser usar tempo de trabalho para fazer estes cursos posso descontar desses dias" mas depois há sempre tanta coisa a acontecer, tanta coisa para fazer (que, por incrível que pareça, não tem nada a ver com gerir pessoas), que simplesmente não tenho tempo do meu dia de trabalho para dedicar a isso e, fora do trabalho, não tenho vontade.

Acho que todo o objectivo deste post é: estou-me a auto sabotar? Estou-me a afundar em trabalho para evitar investir em mim e evitar perceber se, realmente, tenho futuro a fazer outra coisa que não isto?

Pensamentos das 2 da manhã. Típico de uma paranóica.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub